A difícil arte de gastar para um Poupador…

Como gastar sendo um Poupador? 

por que poupar?

Pergunta simples mas de resolução acredito eu nada fácil. Sei que poderíamos responder essa questão dizendo;

– Ué, abre o site da Magazine Luiza, escolhe um produto e compre!



Na teoria é assim, simples. Mas na prática…

Faz uns dias que ando pensando em comprar um eletrônico. Especificamente um notebook Gamer. Mas paro e penso;

Que horas vou jogar? 

Afinal, chego em casa depois da musculação e fico um pouco com minha filha. Consigo aproveitar ela acordada por cerca de uma hora dependendo do dia. Ontem mesmo não tive todo esse tempo com ela.

Com isso, após seu sono teria eu um tempinho para jogar. Mas ando preferindo dormir. Logo não faz sentido comprar um notebook para ficar encostado em algum canto.

Notebook descartado, penso em adquirir um Monitor TV. Mas logo penso que a finalidade é a mesma do notebook e por ora descarto essa compra.

Se você é um gastador, a mente de um poupador funciona mais ou menos assim. Pensamos e pensamos na utilidade que aquela compra terá.

Não encontrando sentido, a compra é descartada.

Acredito eu que o gastador é o oposto desse esquema. Primeiro vem a compra e depois vem o porquê de comprar aquilo.

Muitas vezes deve até bater a chamada “depressão pós compra”. Coisas dessa sociedade moderna.

Mas pare e pense: Refletir depois de comprado não faz sentido. Enfim…

Logo para um gastador que deseja poupar, só trabalhando e bem seus hábitos. Assim fica a recomendação do livro abaixo;

Livro -  O Poder do Hábito

Não será fácil. E muito menos rápido. Afinal mudar suas atitudes de anos irá requerer um baita esforço.

Bom, enquanto você gastador se esforça ai para mudar a chave, eu vou resistindo as tentações dessa vida consumista, onde o prazer está nas compras.

See ya!


29 thoughts to “A difícil arte de gastar para um Poupador…”

    1. Olá Cowboy. Cara, eu também não gosto de gastar dinheiro. Tanto que confesso ter ficado incomodado com o tanto de gastos com minha filha. Mas, não tem muito para onde correr rs Se precisa, o pai compra 😀

      E quanto a vida de pai, está bem legal. Principalmente quando você vê seu filho(a) bem. Poxa, isso vale mais do que qualquer coisa. O próximo post será contando um pouco dessa experiência.

      Abraço!

  1. Tirando os artigos de primeira necessidade uma coisa que mudou muito em mim é que todas as vezes que penso em comprar algo acabo refletindo quantas vezes por dia ou mesmo por semana irei utilizar esse produto, antigamente eu era capaz de comprar algo para ser usando até só uma vez… agora se não for algo que fará parte do meu cotidiano eu descarto logo de cara. Isso mudou muito meu conceito de caro e barato, o preço não importa… oq importa é quanto aquilo irá ser útil no meio dia a dia.

    Sr.IF
    http://www.srif365.com

    1. Faço o mesmo. Por que comprar algo que não vou usar? Eu vez ou outra me pego pensando em comprar um drone. Mas penso:

      – Vou usar quantas vezes isso?

      E depois de passada a euforia quanto ao brinquedo novo. O que fazer?

      Se não tiver resposta para essas perguntas. Desisto e tento ficar longe das ofertas rs

  2. Inglês, dá pra ter filhos com uns 40, 42 anos? Tenho 24 hoje e sou solteiro. Acho que devo casar com mulher mais nova no futuro. Começar um namoro com mulher de 18 a 20 anos. Pode ficar até 10 anos namorando, a mulher acho que ainda engravida aos 30.

    1. Olá Anônimo. Cara, dá sim. Para o homem na verdade não há limites de idade. Não é difícil achar pais com bebê aos 60, 70 anos.

      Quanto a mulher, ai a história é outra. Hoje eu diria que até os 40 anos é "tranquilo" (Tranquilo tranquilo dizem ser até 35 anos para a mulher engravidar)

      Minha prima teve a 3 filha aos 40 e tudo ocorreu bem apesar do alerta dos médicos. Minha filha nasceu e minha mulher tem 32. Também foi de boa.

  3. II,

    Me identifiquei muito com o seu post.

    Quando vou comprar algo, analiso tanto o custo x benefício que muitas vezes acabo desistindo. O que de certa forma é bom, pois muitas vezes seriam compras desnecessárias, já que os apelos do marketing são intensos e quase ininterruptos.

    No final, apesar da indecisão por algum tempo, vejo como mais positivo do que negativo esse tipo de atitude.

    Aguardo seu próximo post sobre as experiências de ser pai. 🙂

    Abraços,
    simplicidadeeharmonia.com

    1. Olá Rosana,

      Bem vinda ao meu time rs Te entendo perfeitamente. Analisamos analisamos e no final acabamos fechando a loja virtual sem comprar nada.

      Quanto ao marketing, acredito que não é quase ininterrupto. Diria que é ininterrupto!

      Eu também vejo como positivo pois não estamos nos deixando levar pela onda de consumo por consumo.

      Acho que até amanhã sai o post 🙂

      Abraço!

  4. Oi Investidor Inglês,

    Também sou uma ótima poupadora. Eu tenho uma lista no meu celular chamada Compras. Nessa lista, eu coloco tudo o que estou precisando comprar/repor. E é incrível a quantidade de itens que eu vou apagando com o passar da semana, por justamente perceber que é algo que eu não vou utilizar, ou que terá pouco uso. Essa semana eu comprei um forno de pizza portátil, que vai me permitir preparar pizzas quase profissionais. No bairro onde eu moro, uma pizza boa custa em torno de 80 reais, só que a minha família é de 4 pessoas. Hoje eu ainda compro somente 1 porque minhas filhas são pequenas, mas daqui a alguns anos, já até prevejo que o pedido será de 2 a 3 pizzas para saciar a fome de todo mundo. Então quando comprei o forno, a única coisa que eu pensei foi: "que economia que estou fazendo!!" kkkk

    viversempressa.com

    1. kkkk! Olá Yuka, já está pensando a frente. Bom! kkkk

      Na minha lista de compras é só besteiras sabe. Dai para eu comprar preciso estar bem inspirado. E mesmo assim ainda corro o risco da depressão pós compra.

      "Por que eu comprei isso?" kkk

  5. Olá Inglês!

    É verdade, nós que participamos e acompanhamos a finansfera avaliamos muito mais as alternativas em relação à necessidade de compra, sob vários aspectos:

    1) Temos algo que possa substituir o desejo de compra?
    2) Por quanto tempo vou usar o objeto (como vc citou no notebook)?
    3) Vai me trazer algum benefício real (de tempo, de produtividade, de saúde, etc…)?
    4) Será que há outra alternativa mais barata ou mesmo um produto usado?

    Enfim, quando acabamos por pensar em tudo isso invariavelmente terminamos por não comprar hehe. Mas se isso partiu de uma decisão racional, menos mal. De qq forma, precisamos tomar cuidado com o excesso de frugalidade para que não deixemos de comprar o que pode também fazer bem para a gente.

    Abraço!

  6. Eu não gosto de gastar, mas as vezes não tem jeito, além disso eu tento consertar tudo, por exemplo já consegui arrumar minha máquina de lavar e tanquinho, e quando quebra algo e não tem conserto fico triste, pois sei que vou ter que gastar para substituir.

  7. Por isso a blogosfera é tão importante. Onde mais leríamos um artigo como este e tendo pessoas que se identificam com isto assim como eu? Muito difícil você ver isso ai fora.
    Odeio gastar dinheiro, quando preciso me bate um mau humor terrível. A minha esposa já sabe, ihh ta de mau humor? Pagou quanto? kkk ela sabe que ou gastei dinheiro ou os investimentos estão ruins. Abcs

  8. Perfeito Investidor, incrível mesmo é ser possível se identificar com um texto como esse rsrs Como falou o AA40… isso só é possível aqui. Dou muito valor as minhas receitas pois sei a luta que é conquistá-la. Logo, detesto consumir (observando as coisas básicas, claro). Mas coisa mais cara e que pode ser segurada a compra, como o caso de um carro novo, eu busco evitar.
    Abraço!

    1. Belo ponto Semeador! Valorizar o seu ganho é um dos pontos a refletir em compras. Será que compensa gastar tudo isso? Valerá a pena as horas necessárias para comprar?

      Outra, você tocou em um ponto que o Inglês aqui as vezes se deixa levar pela emoção. Carro. Esse item foi o único durante anos em que gastei as vezes até sem uma pesquisa mais a fundo.

      É algo que eu preciso ficar em alerta rs

      Abraço!

  9. Fala Inglês, blz. Excelente post meu amigo, me identifiquei muito. Principalmente porque me considero um "poupador com fortes traços de gastador"!

    Ou seja, eu saí de um período forte de gastos desnecessários, entre 2011 e 2014, depois disso passei um período no limbo, sem dinheiro pra gastar, muito menos poupar. Até que veio 2017 e vários consignados acabaram, aí decidi virar a chave. Não aumentei meu padrão de vida proporcionalmente à liberação do salário o que fez sobrar dinheiro. Daí em diante, estou na blogosfera, divulgando patrimônio mês a mês. Hoje graças a Deus consigo não só poupar, mas também investir

    Quanto ao autocontrole, só pra exemplificar, há cerca de um ano eu me mudei, e desde então estava sem sofá, pois a senhora Diário me fez vender o antigo pra comprar um novo. Pois bem, ficamos um longo ano procurando sofá, mas não compramos. Quis muito um de 3000 reais que vi, mas procuramos muito, e depois de 11 meses, compramos um excelente por 1100, que nos atende perfeitamente

    Esses dias quis um Chrome Cast, por pouco não comprei. Pensei, pensei, e decidi continuar com os meios que tenho. Minha TV é LCD, antiga, não é smart, daí uso HDMI no notebook. E assim vou ficando

    Forte abraço e fica com Deus

    1. Legal sua historia Poupador. Ainda mais para quem tem tendência a gastar mais do que poupar. Acredito que foi difícil.

      Quanto ao Chrome Cast, sempre penso também em comprar um. Mas lembro que tem um pc conectado na Tv dai desisto rs

      Abração, amém e fique com Deus

  10. Ah, meu notebook já tem 7 anos, Samsung. Já passou por umas 3 formações. É lento demais. Já quis muito comprar um novo, mas estou me segurando há BASTANTE tempo. Pois se eu adquirir, vai ter que sair dinheiro da reserva de emergência, coisa que não estou nem um pouco afim. Leio muito sobre juntar para cada objetivo. Mas minha vontade de atingir a meta de ser independente financeiramente é muito grande, por isso esse notebook novo vai esperar

    Abraços Inglês

  11. Olá Inglês,
    Excelente seu post, me identifiquei muito com ele.
    Quando desejo comprar algo, raramente compro de imediato, primeiro coloco numa lista no Google Keep, e durante a semana, vou avaliando a real necessidade daquele bem. Na grande maioria das vezes acabo não comprando, por ver que utilizaria poucas vezes, e depois de um tempo deixaria num canto sem usar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.