Carta aos investidores iniciantes {Set/2020}

Uma breve carta aos investidores iniciantes…

carta aos investidores

Setembro está terminando com um gosto bem amargo para nós investidores pessoa física. Afinal, a bolsa vem caindo e caindo…

Contudo, tem o outro lado da moeda. Você que fez o dever de casa estudando as empresas que compõem sua carteira, pode comprar mais ações devido a queda de preços.

O que não é nada ruim, não é mesmo?

Note que aqui podemos usar aquela do “copo meio cheio/meio vazio”.

O copo meio cheio

Se você estudou as empresas da sua carteira de ações, o momento é bem propicio para novos investimentos.

Contudo, um alerta.

Cuidado com o “tamanho” das compras. É interessante você definir percentuais para sua carteira e para seus ativos e persegui-los, lembrando sempre de não ultrapassa-los.

Pois apesar de você ter tirado suas dúvidas com o RI das empresas, analisado os balanços minuciosamente e etc e etc, a empresa pode não corresponder as suas expectativas.

Logo se você não “dosou a mão”, pode ter comprometido uma boa parte do seu patrimônio.

Por isso, apesar das “promoções”, vá com calma e não se esqueça da boa e velha diversificação. Apesar do excesso dela ser um problema, o contrário também pode te machucar.

Apesar de não tão experiente na bolsa (estou ativamente desde 2013), este ano tive uma boa noção do que é não seguir percentuais estabelecidos.

Ao ter colocado em risco um percentual maior do que eu aguentava, com a queda expressiva devido a pandemia, tive minha primeira chamada de margem.

A “sorte” é que eu não estava tão alavancado assim, tendo recursos para cobrir minhas operações.

Mesmo que você seja apenas “Buy and Hold”, fica o alerta.

Não sabemos o que vem pela frente, logo o prudente é ter percentuais definidos na renda variável e na renda fixa, mesmo está última apresentando rentabilidades negativas, como pode ser visto aqui.

Pois esta crise ensinou que você sempre precisa ter margem. Margem para “aguentar o tranco”, margem para novas compras…

Copo meio vazio

Se você está preocupado com as quedas recentes, entrou na bolsa de valores depois do furacão que devastou a renda variável entre Fevereiro e Março, acredito que esta carta aos investidores possa se endereçar a você.

Primeiro, acredito que está preocupado ou porque não estudou as empresas na qual encarteirou, ou porque não se atentou ao tamanho da sua exposição, fazendo com que as quedas te machucassem e muito.

Agora no meio dessa desvalorização que a bolsa vem sofrendo não tem muito o que fazer.

Alias, tem.

Feche o Home broker e vá estudar. Recomendo os livros;

Faça Fortuna com Ações, antes que seja tarde – Décio Bazim

carta aos investidores

Sinceramente, recomendo este livro devido a um método simples para escolher ações, na qual você pode combinar com o método que vou mostrar no livro abaixo, e suas histórias na bolsa.

É bem divertido as histórias dos bastidores. Você conhecerá um pouco o que rolava no pregão de antes, sem a tecnologia que conhecemos hoje.

Investindo para Vencer – João Bosco (Mille)

carta aos investidores

Este livro foi um divisor de águas em minhas análises fundamentalistas. Com um método bem simples e de fácil compreensão, neste exemplar você aprende como avaliar uma empresa sem muita enrolação.

Mais, o livro te mostra que você não precisa dominar conceitos de contabilidade para ler os balanços.

Neste post onde analisei a Sinqia, você pode conferir uma prévia do método proposto no livro.

Há opções para quem não quer estudar

Caso não queira ou não possa alocar seu tempo com estudos de empresas, estudos para aprender a avalia-las e blah blah blah, há opções no mercado.

Você pode muito bem colocar seu dinheiro na mão de um gestor de investimentos, através de um fundo de investimento.

Isso lhe tirará o peso da análise de ativos, mas nem um pouco a sua responsabilidade.

Lembre-se, é seu dever escolher um bom fundo, bom gestor.

Agora caso queira algo mais simples, temos os ETFs, que com a extinção do lote padrão, os torna ainda melhores para os investidores iniciantes.

Eu mesmo estou alocando parte da minha carteira nos ETFs. Em breve conto o racional da minha estratégia. Já no ViagemLenta, você pode conferir a carteira de ETFs que o André está acompanhando.


Bom, nesta breve carta aos investidores iniciantes, no qual eu me incluo, trago pontos que não devemos esquecer ao colocar nosso dinheiro em risco.

Seja a diversificação, tamanho da exposição ou mesmo a análise dos ativos, precisamos sempre refletirmos se estamos nos atentando a esses detalhes.

O mundo dos investimentos é fascinante, mas cobra um preço. Se você se deixar levar pelo deslumbre e esquecer dos pontos citados nesta carta, pode se ver fora deste mundo em instantes.

Gostou do texto? Compartilhe-o em suas redes sociais! Isso ajuda muito o trabalho do Investidor Inglês 😉

Pinterest


See ya!

5 1 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
4 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
29 dias atrás

Fala Inglês!

Que legal que está seguindo diligentemente os percentuais pré-estabelecidos. A longo prazo, são esses rebalanceamentos, ou aportes nos pilares corretos, que farão a diferença!

O mês tá ruim mesmo, mas vamos ver o que dá para extrair de toda a carteira de ativos rsrs

Abraço!

28 dias atrás

Olá!

É verdade, dois meses de mercado caindo, promoções a vista, ontem acabei fazendo um aporte extra, e semana que talvez farei mais um.

E em relação a renda fixa, acabei de atualizar meu post de ontem falando sobre isso, meus títulos IPCA+ tem caído junto com as ações, então não funcionam muito bem pra contra balancear a carteira, vou parar de investir neles, ou pelo menos parar de investir neles com esse objetivo. Quase que dá pra montar uma estratégia desse tipo (balanceamento da carteira) apenas com títulos do tesouro direto né?

Abs!