TAEE11 Análise: Vejamos os fundamentos da Taesa!

Hoje vamos ver os fundamentos da Taesa! Novamente, vamos usar os conceitos do livro
Investindo para vencer e verificar como anda os números da empresa.

Sem delongas, vejamos como foi seu 4T18.

TAEE11, Análise fundamentalista 4T18.



Dia 28/03/2019 saiu o balanço referente ao quarto trimestre de 2018 da Taesa. Como a tenho em carteira, logo corri baixar para ver como se saiu a empresa.

Um spoiler do que te espera na imagem a seguir…

taesa fundamentos

Quem acompanha o Investidor Inglês sabe que minhas últimas análises foram baseadas no livro;

Investindo para Vencer.

Recomendo e muito sua leitura. Compre clicando no link acima e ajude o Investidor Inglês com algumas balas. 😁😁😁

Neste livro, Mille o autor, nos mostra como analisar empresas utilizando 4 pontos. Eles são;

  • Governança, 
  • Geração de Caixa, 
  • Produtividade,
  • Endividamento.

Logo, vamos começar a análise fundamentalista da TAEE11 pela produtividade.

Vejamos…

Produtividade TAEE11

Vamos pegar o último balanço da empresa, que como comentado acima saiu esta semana e começar pelo DRE – Demonstração de Resultado.

No DRE começamos pela receita líquida, que geralmente vem escrito no balanço como;

  • Receita de Venda de Bens e/ou Serviços.

Precisamos verificar se este item está crescendo, ou seja, se a empresa está conseguindo aumentar suas vendas.

Veja;

  • 2018: 1.635.237
  • 2017: 1.077.059
  • 2016: 1.391.074

Depois de observar a receita líquida, vejamos o CPV – Custo de Produto Vendido. Pois se este parâmetro estiver subindo conforme a receita sobe, isso é um bom sinal de produtividade da empresa.

Claro, o CPV tem que subir menos que a receita. Caso contrário, indica problemas.

E o CPV da TAEE11 está assim;

  • 2018: -362.356
  • 2017: -197.777
  • 2016: -149.196

Observamos aqui que o CPV da TAEE11 subiu bem assim como sua receita em 2018, ficando em linha com o que explica Mille em seu livro.

Para terminarmos a análise de produtividade da empresa, vejamos se a margem bruta da empresa também vem subindo.

Para encontrar a margem bruta, divida o resultado bruto pela receita líquida. Para encontrar o resultado bruto você subtrai a receita líquida pelo CPV.

Logo, temos as seguintes margens da TAEE11;

  • 2018: 77,84%
  • 2017: 81,64%
  • 2016: 89,27%

Olhando agora, concluímos que a TAEE11 vem perdendo produtividade.

Agora vejamos se a empresa está aumentando o seu lucro operacional.

taee11 análise fundamenalista

No quadro acima observamos que a TAEE11 apresentou queda em seu lucro operacional em 2017 e 2018 comparado aos anos anteriores. Para tanto, observe a margem EBITDA.

Para não estender a análise neste ponto, vamos a um pulo do gato que o Mille fala sobre as empresas de Buy and Hold (B&H).

Mille nos diz para olharmos o Resultado Financeiro, item que você encontra na DRE das empresas. O “pulo do gato” é que esse indicador nas empresas de B&H estão positivos ou pouco negativos.

Porém, adianto que é preciso ler o livro para entender melhor essa dica. Até por isso não vou me estender por aqui.

Geração de Caixa…

Aqui, o ponto principal para analisarmos a saúde financeira da empresa. Vejamos como anda a geração de caixa da TAEE11 com o gráfico abaixo;

taee11 análise fundamentalista

No quadro acima vemos que a geração de caixa da Taesa vem caindo desde 2016. Observe o indicador FCL Capex / Ação.

E com a piora neste item, ou seja, com menos dinheiro entrando em caixa, a distribuição de dividendos fica em alerta!

FCL Capex é o Fluxo de Caixa Operacional menos o Capex.

Caso não saiba, Capex é a soma dos investimentos em Intangíveis e Imobilizados. Estes dois você os encontra em Fluxo de Caixa no balanço da empresa.

Também não me estenderei por aqui. Mille diz que não há um padrão para verificar isso nas empresas, pois cada uma opera de um jeito.

Esta parte do livro é bem interessante. Leia!

Endividamento

Gosto de procurar aqui empresas “sem dívidas”. Para tanto, procuro por empresas com divida líquida negativa.

Será que a Taesa atende a este fundamento? Vejamos no gráfico abaixo;

taee11 endividamento

Não, não atende. Porém, não há problema algum em não atender isso desde que a empresa tenha suas dívidas sobre controle. Como é o caso da TAEE11.

Note que a divida liquida/EBITDA da Taesa praticamente voltou ao patamar de 2015. Sem contar sua divida bruta/PL que se manteve no período analisado.

E quanto as dívidas de curto prazo, no qual temos uma noção pelo indicador liquidez corrente,  está acima de 1. E isso é bom.

Caso não saiba, o indicador liquidez corrente diz o seguinte,

  • Se for maior que 1, mostra que a empresa consegue pagar suas dívidas de curto prazo. 
  • Menor que 1 indica que a empresa pode ter problemas caso todas suas dívidas de curto prazo sejam cobradas. 

Governança

Este item é a parte subjetiva da análise. Este item demanda um acompanhamento prolongado por parte do investidor.

Mille recomenda acompanhar os webcasts, e principalmente, verificar se a empresa chega próximo ao prometido em seus Guidances.

Não verifiquei a governança da Taesa seguindo os passos acima. Mas uma forma de acompanhar “de longe” esse item, é verificando se a empresa entrega uma rentabilidade se não maior ano a ano, pelo menos estável.

Vejamos;

taee11 rentabilidade

Conclusão

A produtividade da Taesa vem caindo se olharmos exclusivamente para a margem bruta. Mas na comparação da receita liquida com o CPV notamos aumento.

Logo preciso reler o livro para entender melhor este ponto. Talvez tenha deixado passar algo.

Este é um dos motivos de tantas análise aqui no blog. Afinal, para aprender é preciso praticar!

Voltando para a análise, a geração de caixa também vem diminuindo. E este ponto você pode conferir o porquê neste post – Os dividendos da TAEE11 correm perigo?

Quanto ao endividamento, notamos que as dividas da empresa seguem equilibradas. E a governança, notamos melhoras em todos os indicadores na comparação entre 2017 e 2018.

O que achou da análise?  Deixe seu comentário!  Ah! E não deixe de conferir as últimas análises aqui do blog.

Não custa lembrar que isso é apenas um estudo inicial, passando longe de ser recomendação de compra/venda!

Análises recentes do Investidor Inglês,

See ya!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.