Dicas de Educação Financeira que NÃO te contam por ai

Neste artigo, vamos explorar dicas de educação financeira que podem mudar totalmente a forma como você administra seu dinheiro.

Você sabe que a educação financeira é a base de uma vida “tranquila”, não é mesmo?

Pois dominar habilidades financeiras te ajudarão a tomar decisões inteligentes sobre dinheiro.

E isso pode transformar sua vida.

Como transformar sua vida através da Educação Financeira?

Vamos lá, pegue um papel e caneta (Você sabe que é força de expressão, pode anotar no celular ou computador) e anote os passos para transformar de vez sua vida quando o assunto é dinheiro.

  • As dicas que todos contam
  • O mito do dinheiro “fácil”
  • Crédito: O ser mal-entendido

A importância da Educação Financeira

educação financeira

Antes de mergulharmos nas dicas que ninguém (ou poucos) te contam, é importante destacar a importância da educação financeira.

Infelizmente, muitas pessoas negligenciam esse aspecto de suas vidas e pagam um preço caro por isso.

Um caso recente que chocou o mundo do futebol foi sobre finanças. Você ouviu falar do golpe que o jogador Gustavo Scarpa tomou?

Entenda, a educação financeira não se trata apenas de economizar dinheiro, mas de desenvolver uma mentalidade e habilidades financeiras que podem ajudá-lo a alcançar seus objetivos de vida.

Acredito que o jogador citado não cairia no golpe se tivesse com as habilidades financeiras digamos que “mais afiadas”.

As Dicas de Educação Financeira que TODOS te contam

Você que já estudou um pouco sobre o assunto, deve ter percebido a unanimidade sobre estes tópicos:

Enfim, a lista é extensa. Mas dá para resumir nestes 5 tópicos. Assim, realmente estes assuntos precisam estar bem entendidos.

Afinal de contas, precisamos poupar, termos controle sobre nossos gastos, criarmos uma proteção financeira e investir pensando no longo prazo.

Contudo, algo precisa ser dito sobre alguns destes pontos.

O mito do dinheiro fácil

dinheiro "fácil"

Uma das “dicas” mais enganosas que muitas vezes ouvimos é a ideia de que é fácil enriquecer rapidamente.

Após entender todo o processo e já ver dinheiro sobrando na conta todos os meses, alguns acabam caindo em ciladas na esperança de “antecipar a independência financeira”.

Se você leu o caso do jogador mencionado acima, entende o que estou dizendo…

Você também já deve ter lido ou assistido algo que após passar dezenas de dicas e blah, blah, blah, te mostra contas e mais contas mostrando o quanto você pode ter de dinheiro ao adotar certas medidas, já viu?

Estou falando das contas do quanto dinheiro você poderia ter se não consumisse aquele cafezinho diário, se não fizesse isso e aquilo…

Enfim, esqueça isso!

A educação financeira não é o que vai te dar um enriquecimento rápido. Muito menos uma ferramenta para cortar seus prazeres da vida.

A educação financeira é uma ferramenta para te dar escolhas e limites.

Você pode tomar seu cafezinho, mas talvez não todos os dias pois isso vai comprometer o investimento que você programou.

Você pode sair para jantar fora. Mas talvez seu orçamento não comporte isso todos os finais de semana.

Você pode investir todo seu dinheiro poupado em Bitcoin? Hmm, li em algum lugar que é mais sábio diversificar (mas nem tanto).

Entende?

A educação financeira é sobre administrar melhor seu dinheiro.

Crédito: O ser mal-entendido

credito

O crédito desempenha um papel importante na vida financeira de muitas pessoas, mas muitas vezes não é entendido completamente.

Ainda mais em um pais onde a renda mal passa dos 5 mil reais (pior, boa parte dos brasileiros não ganham isso)

Ter uma compreensão sólida do crédito é crucial, então vamos esclarecer um ponto que nem todos sabem. Ou fingem não saber.

Crédito é sinônimo de dívida. Isso precisa ficar bem claro. Sempre quando ouvir crédito, troque por divida.

Comercialmente, soa muito ruim não? Afinal, quem vai querer um cartão de divida?

Logo a forma de te empurrar dívidas foi usando a palavra crédito.

Entendendo isso, precisamos deixar claro uma coisa. Ter dividas não é de todo ruim!

Como assim Inglês? Tá maluco?

Calma, calma… Vou explicar.

Ter dívidas não é necessariamente ruim em algumas situações específicas. Eu sei que nas dicas de educação financeira dadas por ai, eles pedem para evitá-la a todo custo.

Mas pode ser benéfico se endividar quando o dinheiro é usado como investimento em educação, habitação, negócios ou para gerenciar fluxo de caixa.

Eu aos 20 anos não passei em uma faculdade pública e não tinha dinheiro para uma privada. Recorri ao crédito estudantil.

Também recorri ao crédito imobiliário. Detalhe, mesmo tendo o dinheiro para quitá-lo, decidi carregar essa dívida e usar o dinheiro em outras coisas.

E hoje eu gerencio meu orçamento através de dívidas. Coisas que não consumo com frequência são pagas através de crédito (digo, parcelamento).

Posso contar isso em mais detalhes se quiser. Deixe seu comentário pedindo sobre isso!

Enfim, o endividamento sendo feito com cautela e planejamento não é ruim.

Lembre-se, dívidas de consumo sem propósito claro são ruins, pois muitas vezes você gastou dinheiro a toa por algo que:

  • Usou uma vez e depois não usou mais
  • Nunca usou

Agora quando a dívida é planejada e está sob controle, tudo bem. O equilíbrio é fundamental, e deve fazer parte da sua tomada de decisões.

Finalizando, vamos repassar os principais pontos da Educação Financeira

Para fechar este post, vamos dar uns pitacos sobre as dicas básicas para gerenciar melhor seu dinheiro

A importância do planejamento de longo prazo

Ah o longo prazo…

Muitas pessoas se concentram apenas em suas finanças imediatas e não pensam no futuro.

De certa forma, elas não estão erradas!

Afinal, vivemos o presente. No entanto, isso não quer dizer que o planejamento de longo prazo deve ser ignorado.

Mas sim, ele não deve ser prioritário. Precisamos sim procurar garantir nossa aposentadoria. Mas sem deixar de viver.

Com certeza isso essa dica de educação financeira é abominada por boa parte dos influencers, não?

Investimentos em renda variável é para todos?

Investir é uma parte fundamental da educação financeira, mas muitas pessoas não sabem por onde começar.

Investir em ações, fundos imobiliários e outros ativos de renda variável não são para todo mundo.

Cuidado com esses influenciadores que praticamente te obrigam a investir em bolsa de valores.

Será que você entende de fato os riscos que está correndo?

Outro assunto para abordar com mais calma que pretendo escrever em breve…

Proteção financeira

Ter uma reserva de emergência é essencial, ainda mais se pensa em investir em renda variável.

Contudo, existem outras proteções que acabamos negligenciando e que podem afetar nosso bolso.

Estou falando de plano de saúde, seguro de vida entre outros seguros.

Eu confesso que não tenho as proteções citadas acima. Eu sei, é um risco que estou correndo.

O poder dos pequenos passos

Dicas de Educação Financeira

As dicas de educação financeira que compartilhei aqui são frequentemente negligenciadas, mas podem fazer a diferença entre seu sucesso financeiro e seu fracasso.

Entenda que a educação financeira não se trata de fazer grandes mudanças do dia para a noite, mas sim de dar pequenos passos consistentes na direção certa.

O hábito de economizar, investir e tomar decisões financeiras deve ser construído ao longo do tempo.

No começo, eu abominava a ideia de usar o cartão de crédito para qualquer coisa. Hoje é a coisa mais comum do meu dia-a-dia.

Enfim, não se sinta desanimado se não atingir todos os seus objetivos financeiros de uma só vez.

Lembre-se que a jornada é longa. Mantenha-se atualizado no assunto e sempre dê um pequeno passo de cada vez. Isso com certeza o levará mais perto do sucesso.

See ya!

5 1 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of

4 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Geronimo
6 meses atrás

Uai, continuo esperando para ler as que não te contam. Todas essas ai são majadas! Foi pegadinha?

QSR
6 meses atrás
Reply to  Geronimo

Não seja chato. Para você é manjado, mas para a maioria da população não é.

6 meses atrás

II,

A constância dos pequenos passos diários rumo a um objetivo faz toda a diferença.

http://www.simplicidadeeharmonia.com