Série: Decisões diárias. O que fazer com meu dinheiro?

O que fazer com seu dinheiro?

Vamos começar uma série nova no blog? Faz tempo que não faço isso. E ontem ao voltar do trabalho, estava pensando na decisão que estava prestes a tomar…

Reformar meu carro por x, não reformar e vender por y e com a grana comprar um carro de 40k?

Dúvidas, dúvidas e mais dúvidas. Normal para quem não opta pela primeira opção que vem a mente.

É preciso raciocinar, refletir, discutir sobre o tema buscando mais argumentos para uma tomada de decisão, digamos que mais apurada.

Afinal, quem preza pelo seu dinheiro precisa fazer assim.

Contudo, nem sempre a melhor decisão é a financeira. Precisamos levar em consideração outros aspectos como emocionais entre outros.

Afinal, finanças pessoais tem tudo e nada a ver com dinheiro

A minha casa mesmo foi adquirida devido a minha mulher ter pavor de pagar aluguel. Após algumas tentativas de mudá-la de ideia, vi que não conseguiria e acabei topando a compra mesmo sabendo que não era a melhor decisão por parte financeira.

Enfim, é isso que pretendo com esta nova série do blog: Discutir um melhor destino para o meu/seu dinheiro.

O que fazer com meu/seu dinheiro?

o que fazer com seu dinheiro

Dinheiro na mão é vendaval… Assim, não para mim, pois não costumo “torrar” dinheiro com facilidade.

Comigo isso acontece bem de vez em quando. Logo sou do time que pensa bastante antes de gastar o tão suado dinheirinho.

Será que eu uso aquela reserva para comprar uma casa, ou continuo de aluguel? Troco meu carro por um mais novo, ou apenas reformo ele?

Essas questões entre outras sempre me levam a estudos, reflexões.

No caso de hoje, falarei sobre meu carro. Tenho um usado que tem valor de mercado de aproximados 21k.

Porém, no estado em que se encontra, pintura deteriorada em decorrência do sol, de pintores (inclusive eu, pintor amador), não é possível obter tal valor.

Sendo assim, caso opte em vender o carro, sei que a venda sairia no máximo por uns 16k. E tenho sérias dúvidas se consigo chegar a isso.

Logo vem a questão: Resolvendo o problema da pintura, posso conseguir em uma futura venda os 21k.

OK, obter 21 mil é utópico. Mas melhorando a pintura consigo aumentar o valor de venda?

Cotei em uma oficina perto da casa da minha mãe e me foi passado o valor de mil reais. Cotei em uma oficina especializada aqui da cidade, oficina acostumada a lidar com carros de 200, 500 mil reais.

Nesta oficina, tive o orçamento de 4 mil sem ver todo o carro. Acredito que ao todo chegaria fácil nos 7 mil.

Ai cotei em outra oficina de bairro e tive o orçamento de 2,5 mil que acabou por ser o escolhido.

Financeiramente, pode ter sido uma boa decisão. Veja, se hoje ao vender o carro eu conseguisse 15 mil, ao pintar o carro é mais “fácil” eu conseguir entre 18~20.

Ou seja, vou gastar 2,5k e posso no mínimo empatar caso venda o carro.

Já em outros aspectos também pode ter sido uma boa se a oficina entregar o que prometeu. Terei um carro praticamente novo de pintura, o que me permitirá olhar para ele e querer ficar por mais anos e anos.

A escolha pela oficina de 7 certamente me daria esse “carro novo”. Porém, financeiramente seria suicídio, já que não obteria de volta este valor de forma alguma.

Sendo assim, acredito que minha escolha conseguiu ser equilibrada. Mas isso só terei certeza após o resultado.

Veremos…

5 2 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
3 meses atrás

II,
Passei há pouco tempo por essa decisão. Mas acho que o meu caso era mais complexo, pois envolvia mexer na peça principal do carro, o motor. No seu caso você pode pintar e ainda rodar com ele, ganhando tempo para decidir se vende ou não, ou então anunciar e ver o preço que consegue.

abçs