Série: Rumo a Independência Financeira!

Começo hoje a série – Rumo a Independência Financeira! Apesar de não ser de fato meu inicio nessa jornada, pois já estou nela há um tempo, começo este post contando os desafios que passo e continuarei passando até a conclusão do objetivo, no qual é, viver de renda.

Me inspirou criar essa série a recente onda de textos na blogosfera, principalmente o do SrIF365, Joguei a toalha



O primeiro ponto dessa jornada vem abaixo.

A Independência Financeira não é um caminho reto!

Acredito que alguns devem compactuar com esse fato. Ao começar seu caminho rumo a Independência Financeira, vulgo IF, você está todo empolgado, motivado.

Começa a fazer cálculos para saber quanto poupar e quando usufruir.

Porém, um detalhe que julgo crucial acaba passando batido.

O inesperado.

Poderia até chama-lo de Cisne Negro, mas acho que o termo sairia forte demais para o texto.

Nosso caminho a IF contará com vários eventos inesperados. E isso querendo ou não, mudará a quantia a ser poupada, tempo…

Podendo ser tanto para mais quanto para menos. O Investidor Inglês por exemplo, chegou a atingir a quantia de 50k aos 27 anos mais ou menos. Para mim, baixa renda, um puta feito. Mas, como a vida não se baseia somente em um desejo, temos vários, alguns deles me fizeram regredir.

Talvez se o conceito de IF estivesse formado em minha cabeça a regressão teria sido menor. Não dá para saber. O importante no caso é que o primeiro pilar que devemos erguer para construir nossa independência estava de pé.

E esse pilar se chama…

Gastar menos do que se ganha

Termo velho aqui na blogosfera. Velho, porém sempre atual. Esqueci o nome que se dá a esse ponto. Mas é isso. Não dá para construir sua independência financeira gastando mais do que se arrecada. Não dá. Porém, é necessário ter consciência de que uma hora ou outra seu pilar pode sofrer um abalo.

Nem sempre a independência financeira vai estar em primeiro lugar. E é até bom que não esteja, há vida lá fora!

Logo, se você estiver com o conceito bem definido, mentalizado de que precisa gastar menos do que ganha, isso não será problema. E felizmente, eu estava.

Consegui recuperar os 50k e depois preserva-lo, pois não conhecia a ideia de IF ainda. Depois que a conheci, por volta dos meus 30 e poucos, não sei a idade ao certo, consegui ir ano a ano aumentando meu patrimônio.

Isso até a compra financiada do meu apartamento…



Continua…

See ya!


19 thoughts to “Série: Rumo a Independência Financeira!”

  1. Esse primeiro ponto que vc colocou, Inglês, é essencial, e nos reforça a ideia de que a IF não é um destino, mas uma caminhada.

    Se pensarmos somente no destino sem pensar no que nos leva a alcançá-lo dia a dia, não chegamos nunca. É preciso saber apreciar o presente com todos os prazeres e dificuldades que ele nos impõe. Em suma, apreciar bons hábitos na vida, e não pensá-los como uma obrigação!

    Abraços!

  2. Investidor Inglês,

    Gostei da sua ideia, é uma série de artigos que promete! Vou acompanhar.

    Interessante ter citado eventos inesperados. Geralmente isso é algo não levado tão em conta quando pensamos no assunto investimentos de forma mais ampla.

    Boa semana!

  3. II,

    o tema dos cisnes negros tem me cativado bastante ultimamente. Eles podem ser catastróficos pra muita gente, mas sempre tem gente que ganha muito dinheiro nas crises. São as pessoas que apostam contra o sistema, que "abraçam e aceitam o caos" – e que tiram o dinheiro do pessoal que vai com a maioria sem pensar.

    Ou seja: nem sempre o cisne negro é indesejado!

    Abraço

    1. Olá Frugalidade Hacker,

      Realmente, há quem ganhe e muito com as crises. E por falar em apostar contra o sistema, tem aquele filme "A grande Aposta".

      Não sei dizer se um cisne negro possa ser "desejado". Mas, que pode ser explorado e assim lucrar, é verdade.

      Abraço

  4. Show! Espero a continuação da série, se puder abordar em passos mais simples para os novatos da finansfera, ajuda rsrs
    Obrigado pelo ótimo trabalho, investidor inglês!

  5. Se eu conseguisse bons rendimentos estaria proximo de 500 mil ja dado o volume que aporto anualmente. Mas sou azarado, esse ano sofri com mfii11, mplu3 e smls3.

    O rendimento do ano eh positivo pelos aportes, mas o prejuizo dessas me comeu 20% dos aportes do ano.

    aporto 80-85k ano.

    1. Olá Marcelo,

      É, esses ativos nos pegaram mesmo. Mas tiramos pelo lado bom, é hora de verificar como anda sua alocação de ativos. Verifique como anda sua concentração em renda variável e renda fixa.

      Eu priorizo o balanceamento para não sofrer tanto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.