Relatos da vida real – Do zero aos quinhentos mil!

Após ler o post O caminho mais comum para estudantes – Trabalho sem saida do amigo Termos Reais, lembrei de um senhor que foi do zero a um patrimônio de mais ou menos 500 mil reais sem ter estudo algum. Sim, este senhor não foi para a escola em sua infância. Infelizmente ou felizmente (vai saber não?)

Bom, mas o fato é que isso não impediu este senhor de seguir em frente na sua busca a melhores condições de vida. Veja abaixo;



Do 0 a 500 mil reais

Certo dia recebi um telefonema pedindo suporte em um computador. Na hora pensei – Legal, trabalho extra!  Anotei o endereço e no dia combinado me dirigi a casa dele.

Bom, enquanto estava lá resolvendo o problema em seu computador, o senhor começou a conversar comigo. Entre um assunto e outro, surgiu um de como eu comecei a trabalhar com TI. Após falar como foi minha saga, perguntei a ele qual foi a dele.

E ele respondeu;

   “Sai cedo do Nordeste, acho que tinha uns 14 anos. Vim para São Paulo com uma muda de roupa e muita disposição. Se me perguntasse se tive medo, te responderia – Claro que tive medo! Mas tinha mais medo de ficar em minha terra


Ao chegar em São Paulo, logo arrumei um emprego de servente. E ai começou minha jornada. 


Morei de favor até conseguir um canto, que devido as minhas condições, demorou um pouco. Enquanto lutava para melhorar minhas condições, ou seja, trabalhava duro diariamente, ia juntando o pouco que sobrava mês a mês. Juntei ao ponto de conseguir comprar um terreno no interior. 


Com o terreno comprado mais minha experiência construí minha casa. Nessa época, estava praticamente casado. Minha mulher trabalhava diariamente como diarista, e também não media esforços em mudar sua situação. 


Hoje você vê a casa assim, bonita. Mas lembro quando entrei aqui pela primeira vez. Era só paredes e um teto. E o engraçado que ao entrar nessa casa, eu e minha mulher tivemos uma grata surpresa. Ela estava grávida. Foi ai que juntei mais forças de buscar melhores condições de vida. 


Para não tomar muito seu tempo, vejo que o computador está praticamente pronto, resumo que dediquei um bom tempo da minha vida ao trabalho. E como essa vida de peão é dolorosa, procurei formas de amenizar essa dor quando mais velho. Assim, levantei essa casa em cima da minha para alugar. E com os aluguéis fiz da minha garagem um bar.”

Conclusão

É senhores(as), em apenas mais um trabalho extra, fui presenteado com essa bela história de vida. Tanto o senhor quanto sua mulher, trabalharam muito, muito mesmo, mas hoje colhem o que plantaram.

Como fora empregado por boa parte da vida, o segredo desse senhor, melhor da família, foi levar uma vida simples. Tanto que nem carro eles tem. Ao invés de gastar com esse passivo, eles procuraram expandir seus ativos.

Uma bela interpretação dos ensinamentos do Pai Rico Pai Pobre

See ya!


43 comentários em “Relatos da vida real – Do zero aos quinhentos mil!”

  1. Me inspiro nessas histórias. Cada vez menos tem gente assim. Só se vê cagalhão sabe-tudo com todas as desculpas e lógica pra não pegar a trouxa e ir trabalhar do jeito que for.

    Tem a questão do conforto psicológico. O cara sabe que pode ficar com os pais até os 30 e poucos fingindo estudar, não existe pressão por resultados e aprender habilidades que tragam lucro e crescimento.

    Responder
  2. Olá II,

    História bonita. É uma das milhares que existem no Brasil.
    Conheço muita gente que tem um bom patrimônio, mas não tem dinheiro. A liquidez é muito baixa, por exemplo, terras. Há muitas pessoas da minha cidade que tem fazendas que valem milhões, mas tem pouco dinheiro. Claro que dá para a pessoa tirar uma grana da terra, mas muito não sabem ou não procuram conhecimentos.

    Abraços.

    Responder
    • Olá Cowboy!

      É verdade. No caso da família do post, patrimônio praticamente sem liquidez. O bom que montaram o bar, dai soma-se com o aluguel recebido formando uma renda legal para a família.

      Mas o que falou é verdade, no Brasil há muitas pessoas com patrimônio imobilizado. Deveriam procurar um meio termo

      Abraços

      Responder
  3. quando criança nem minha mãe acreditava em mim. Sempre gostei de estudar e quando ela me via estudando me mandava arrumar um emprego, pois estudar era coisa de vagabundo na cabeça dela. Minha avó teve 15 filhos então você imagina quantos primos eu tenho né!!! De todos nós só eu estudei em uma universidade federal. Quando cheguei na UFV a primeira coisa que fiz foi abrir a conta universitária no banco do brasil para poder gastar o limite com comida. Ironia do destino hoje tenho ações do banco do brasil na minha carteira, ou seja, sou um pouco dono do banco que me ajudou a sobreviver na UFV. Grande abraço, foque em melhorar sempre, nunca deixe que outras pessoas digam o que você vai ser ou o que você deve fazer. Foque em você que a vitória é certa.

    Responder
  4. II,

    Inspiradora essa história. Há pessoas, que mesmo com pouco ou nenhum estudo, tem visão.
    Como você disse, esse senhor tem uma vida mais simples, então provavelmente não tenha tantos gastos desnecessários – é um ponto fora da curva no Brasil.

    Acredito que com mais pessoas como ele, o Brasil poderia se tornar um país melhor, saindo do cenário do consumo desenfreado e endividamento para um país com mais pequenos investidores no mercado e melhor qualidade de vida, com boas e decentes perspectivas reais para todos nós.

    Boa semana!

    Responder
    • Olá Rosana!

      É inspiradora mesmo. Sim, a vida deles até hoje é simples. Acredito que seja assim devido as circunstancias que os dois enfrentaram.

      Também acredito nisso! Se mais pessoas valorizassem seus ganhos, com um consumo consciente e tal, também acredito que todos ganharíamos.

      Boa semana!

      Responder
  5. Passei por uma ocasião curiosa esse fim de semana onde fui chamado de "fracassado" por não ter um carro… fiquei pensando na hora como a grande maioria das pessoas pensam nesse país, a maioria é pobre e luta com unhas e dentes para conseguir passivos que vão acabar com o pouco dinheiro que tem. Por outro lado existem pessoas como esta do seu relato que parecem ter o conhecimento inato, sabem que devem gastar menos do que ganham e poupar pra crescer. Fico extremamente feliz quando conheço histórias desse tipo e agradeço por compartilhá-la conosco.

    Responder
  6. Fala Investidor Inglês!

    Quando você comentou no meu post fiquei curioso para ler a respeito…Muito bacana a história de vida deste senhor! São trajetórias assim – com realismo e conhecimento prático do cotidiano – que agregam imenso valor a comunidade da finansfera.

    Obrigado pela menção eu seu artigo, amigo! Abs!

    Responder
  7. Muito bonita a história II, bem motivadora pra dizer a verdade.

    É mais um relato das pessoas que acreditam em seu sonho, decidem sair da corrida dos ratos (mesmo sem saber o que significa este termo) e ter uma vida diferente da maioria esmagadora que trabalhar pra pagar contas e mais nada.

    Obrigado por compartilhar.

    Responder
  8. Fala Inglês, Bonita história, mas será que hoje em dia temos grandes histórias assim? Eu particularmente acredito que não, hoje imóveis e terrenos são caros, estabelecimentos comerciais há muita concorrência. Hoje os poucos casos que tem de sucesso além tem trabalho há muita sorte, no caso que você relatou foi só trabalho !!

    Responder

Deixe um comentário