Estratégia Barbell Funciona? Testando na prática!

estratégia barbell funciona?

Lembra que apresentei a estratégia Barbell?

Bom, em resumo, a estratégia barbell é;

Ter 90% do seu patrimônio em ativos de baixo risco e os 10% restantes em ativos de alto risco. Isso segundo nosso amigo Nassim Taleb.

Lembra do livro A Lógica do Cisne Negro? Então, Taleb é o autor…

Dessa forma, vejamos um teste desta estratégia para saber se funciona.

Estratégia Barbell Funciona? Primeiro Teste!



Recorri as temidas opções para os ativos de alto risco. Assim, montei a operação dia 23/06/2017 com PETR4 valendo R$11,93.

Abaixo as opções compradas;

  • PETRI13 – Opção CALL com vencimento em 18/09/2017. Nesta simulação a compra foi feita no dia 21/06/2017 por R$0,54
  • PETRU52 – Opção PUT com vencimento em 18/09/2017. Aqui a compra foi feita por R$0,33

Foi comprada 1000 opções de cada gerando um custo de R$852,00 (já contando corretagem e impostos)

Desmontando a operação enquanto escrevo, dia 12/09/2017, ou seja, vendendo as PETRI13 a R$1,96 cada e deixando as PETRU52 virarem pó, chego a um lucro liquido de;

R$1.119,00!

O fator primordial sobretudo para esse operação sair vencedora foi a valorização expressiva da Petrobras.

Afinal, ela saiu de R$11,93 para quase R$15,00!  Isso foi determinante para o sucesso da estratégia.

Segundo Teste

Um mísero teste não serve para dizer se a operação funciona, não é mesmo? Então, monto aqui mais um;

  • PETRL17 – Opção CALL com vencimento em 18/12/2017. Nesta simulação a compra foi feita no dia 12/09/2017 por R$0,44
  • PETRX10 – Opção PUT com vencimento em 18/12/2017. Aqui a compra foi feita por R$0,60

As duas opções acima foram compradas 1000 de cada gerando um custo total de R$1021,77 (já considerando corretagem e impostos)

Aguardemos cenas dos próximos capítulos…

Atualização

Como a PETR4 não saiu do lugar, as opções PETRL17 e PETRX10 viraram pó! Ou seja, se tivesse colocado grana conforme conto no post, teria amargado um prejuízo de mil reais.

Como lição tirada dos dois testes, sei que é pouco mas já dá para ter uma noção, se PETR4 ou VALE3 valorizar bem, principalmente para cima pois o mercado de PUT é horrível, a operação sai vencedora. 

Entretanto, se a ação escolhida ficar de lado ou andar pouco, esqueça, o prejuízo é certo! 

Portanto, a estratégia Barbell funciona caso as ações subam e subam. Ou seja, apresentem boa valorização.

Não custa lembrar que isso é apenas um estudo inicial, passando longe de ser recomendação de compra/venda!

See ya!


21 comentários em “Estratégia Barbell Funciona? Testando na prática!”

  1. Já ouvi falar desta operação. Hoje tenho em carteira ativos de altíssimo risco como FJTA4, ADHM3, ATOM3, BPAN4, BPHA3, BRIN3, BSEV3, CCXC3, CTAX3, ETER3, EUCA4, IGBR3, OFSA3, LOGN3, LUPA3, PINE4, TCSA3, TRPN3 e VIVR3.
    Mesmo sendo um grande número de ativos arriscados o total deve estar dentro deste 10%. O problema é que os 90% restantes também está na renda variável, kkk, mas são ativos de risco controlado.
    Comprar estes papéis citados acima é como comprar opções, quando faço a compra realizo a mitigação do risco com o seguinte pensamento: se der errado o stop é o próprio tamanho da posição.
    Minha carteira de ações tem performado acima do IBOV nos últimos meses, só não sei dizer se estes papéis estão contribuindo positivamente ou negativamente, não parei para olhar isto ainda.
    Abraço!

    Responder
  2. Fala Investidor Inglês!

    O Taleb é um cara interessante à ser estudado. Suas obras são densas e algumas chegam a ser cansativas de ler. Mas a essência é muito, muito interessante.

    A visão que ele tem de mundo realmente é fruto de um operador que aprendeu muito com as porradas do mercado. E podemos usufruir muito do que ele aprendeu e aplicar na prática.

    Em relação a estratégia em si, vou ficar no aguardo dos próximos capítulos. Para uma amostragem interessante será necessário uma gama maior de operações, então vambora!

    Cheers!

    Responder
  3. Acho o Taleb fantástico, mas quando o assunto é opções e seguros em geral, sigo mais a doutrina do Buffet, "Rule No.1: Never lose money. Rule No.2: Never forget rule No.1". Não gosto de seguros. Seja de carro, de vida, de saúde ou de investimentos. Sei que parece loucura, mas estratégias e empresas que trabalham com seguro se alimentam numa parte primitiva do nosso cérebro: a do medo. Prefiro dirigir prudentemente e pagar eventuais reparos do meu próprio bolso, pois sai mais barato que o seguro, por exemplo.
    No mercado financeiro, concordo que seria prudente ter opções em caso de desastre, mas não gosto da ideia de jogar o dinheiro fora todo mês até o desastre chegar.
    É muito bom poder acompanhar esse seu exercício. Quem sabe mudo de ideia!

    Responder
    • Olá FinançasCotidianas!

      Sobre seguro de carro, hoje estou usando um que abrange apenas roubo. Aqui no Brasil a estratégia tem esse porém, renovar a cada três meses. Nos Eua você consegue tranquilamente fazer anual, diluindo bem o custo. Vamos ver como ela se sai nos próximos episódios…

      Responder
  4. IInglês,

    Eu estou estudando a hipótese de fazer isso só que os ativos que quero testar são novos ETF no exterior. Existem alguns novos ETF que possuem bons propósitos mas não possuem histórico então talvez eu coloque uns 3 a 5% em ETF novos no mercado.

    Vou acompanhar suas operações aqui.

    Abraço.

    Responder

Deixe um comentário